quinta-feira, outubro 29, 2009

O crente cresce através do Serviço


Textos básicos: Neemias 12.43 (sacrifícios); Sl 40.8 e 126.5,6; Lc 10.17 (na obra do Senhor); Jo 4.36 e 12.26 (o semeador); II Co 8.19e 9.2; II Tm 2.21. Tt 3.1; I Pe 3.15 e 5.2 (no campo espiritual); Lc 10.40 (o melhor serviço); Rm 15.25 (serviço para a igreja); Mt 20.28 (maior exemplo nosso - Jesus Cristo!); At 20.19 (com humildade; I Co 15.58 (nunca é em vão).


Exercício físico é fundamental na vida do ser humano, mesmo que seja uma breve c aminhada, lavar louças, engraxar os calçados, lavar um automóvel, sei lá o que mais!
Estamos sempre em ação com alguma coisa, enquanto respiramos neste mundo, estamos também nos movimentando de alguma maneira, respirar é estar vivo!
O que isto tem a ver com crescimento cristão? Creio ter tudo a ver! Como cristãos, devemos agir de forma a compreendermos que se “estamos vivos” em espírito, devemos nos exercitar para o Senhor e Seu serviço, alguma área de minha vida deve ser abençoada e deve ser abençoadora através do serviço cristão.
Paulo nos ensina que nosso trabalho no Senhor não é vão; Jesus disse que esteve neste mundo como servo e para servir, não para ser servido – exemplo de maior abstinência de Sua glória e Majestade para servir aos perdidos e alcançá-los com salvação!
Num dos textos básicos, encontramos as irmãs Marta e Maria servindo o Mestre Jesus em sua casa, queriam recebê-lO da melhor maneira possível, porém observamos que sempre existe um serviço melhor, ou seja- mais urgente a ser executado. Este deve ser nosso propósito- questionarmos qual é o melhor serviço no momento, onde posso ser útil no corpo, na igreja e para o Reino do Senhor!

CADA UM NA SUA!
Temos os dons naturais:
1- Uns cantam, outros tocam instrumentos, outros sabem reger, etc., podem trabalhar no louvor da igreja;
2- Outros são operosos em boas obras, sabem ouvir, gostam de auxiliar às pessoas, podem trabalhar na área da misericórdia da igreja;
3- Alguns têm aptidões artísticas, sabem pintar, fazem trabalhos manuais, decorações, etc., podem auxiliar em tantos trabalhos na igreja – evangelização (quadros de histórias, cânticos, etc.); decoração de ambientes; serviço social na área de bazares ou afins...;
4- Existem pessoas que sabem trabalhar com elétrica/hidráulica/alvenaria ou outros iguais, são muito úteis na zeladoria do prédio do templo;
5- Outros atuam no campo das artes espontâneas, tais como teatro/coreografia, dança, etc.
Enfim, poderia citar tantas coisas.


Conclusão:

O objetivo de citar alguns dons naturais é de apenas colocarmos uma idéia de ação dentro do corpo do Senhor – a igreja. Nem todos têm o talento para cantar num grupo de louvor ou coral, podem contudo auxiliar naquilo que possuem como talento ou dom natural.
“TODOS POSSUEM ALGUM DOM NATURAL E PODEM SERVIR DE ALGUMA FORMA DENTRO DO CORPO DE CRISTO!”
O espaço é amplo e meu dever é descobrir e colocar em prática onde trabalhar e ajudar o crescimento da igreja e meu crescimento em conseqüência.


O TRABALHO ESPIRITUAL:
1- Professores em geral (crianças, adultos, jovens, etc.)
2- Líderes de ministérios (cooperadores);
3- Evangelização, diáconos, etc.
4- Ministérios específicos... pastores, evangelistas, obreiros, missionários.
5- Etc.


OS COLABORADORES FINANCEIROS:
Muitas pessoas são disponíveis no campo material, fora dos dízimos e das ofertas comuns na igreja. Existem pessoas que podem e auxiliam no campo material, são desprendidas das coisas e fazem suas doações “por amor ao Senhor” e não por troca de favores com Ele! Eu mesmo conheci muitos em minha vida cristã, pessoas que ajudavam em tudo o que fosse possível a eles, sem qualquer tipo de constrangimento, possuem o dom da liberalidade! Repito: não fazem por troca ou interesse, é um dom mesmo!

AS FORMIGAS ENSINAM:
Os insetos nos ensinam o trabalho, tal qual o sábio nos ensina no livro de provérbios 6.6 e 30.25. usando as formigas como exemplo de povo fraco, mas unido e que agem com sabedoria (instinto) guardando no verão para usufruir no inverno; assim os crentes devem trabalhar, unidos mesmo que parecendo fracos, serão fortes, mesmo que aparentemente débeis, serão tidos por sábios. O Senhor inspirou nas Santas Escrituras através destes pequenos seres, coloquemos em prática então!

Irmãos, o crescimento do crente não pode ser “opcional”, deve ser algo natural na vida do crente. Todo crente verdadeiro deve crescer e o trabalho faz parte desta seqüência de lições que repartimos com a igreja.
Crescer através da oração, do estudo bíblico, do serviço, em meio às lutas, etc.
O IMPORTANTE É CRESCER EM CRISTO – ATÉ A ESTATURA DE VARÃO PERFEITO – ESTE É O NOSSO ALVO!!
Amém.
Pr.Omar Bianchi

Existe um hino (410) do Cantor Cristão, composto por Salomão Luiz Ginsburg (1867-1927) e Alfred Henry Ackley (1887-1960), que nos mostra a alegria que deve sentir o crente ante a oportunidade de trabalhar na Seara do Senhor.


FELICIDADE NO SERVIÇO


1- No serviço do meu Rei eu sou feliz,
Satisfeito, abençoado;
Proclamando do meu Rei a salvação,
No serviço do meu Rei.

2- No serviço do meu Rei eu sou feliz,
Obediente e corajoso;
Na tristeza ou na alegria sei sorrir,
No serviço do meu Rei.

3- No serviço do meu Rei eu sou feliz,
Jubiloso e consagrado;
Ao seu lado desafio todo mal,
No serviço do meu Rei.

4- No serviço do meu Rei eu sou feliz,
Venturoso e decidido;
Quanto tenho no serviço gastarei,
No serviço do meu Rei.

CORO
No serviço do meu Rei
Minha vida empregarei;
Gozo, paz, felicidade,
Tem quem serve a meu bom Rei.

Antonio Carlos




sábado, outubro 24, 2009

O crente crescendo através da oração












Textos:Mateus 26: 30 a 46; Lucas 11:9 e 10; Colossenses 4: 1 a 4.


Juntos, oração e Palavra, não podem jamais andar separados.
Alguém já disse que a oração é a mola que impulsiona o cristão, quantas e tantas são as experiências que temos através da oração, que mesmo aparentemente não respondidas (é o que muitos pensam) trazem para o cristão um crescimento importante.
O exemplo maior que temos é O Senhor Jesus Cristo. Quantas vezes encontramos Jesus orando, buscando ao Pai em oração, ensinando os seus discípulos a orar, pregava a Palavra e orava, vivia o que pregava, e isto é a maior marca do Filho de DEUS!
“QUANTOS HOJE EM DIA EXIGEM DOS OUTROS AQUILO QUE NÃO SÃO, QUE NÃO FAZEM NA OBRA DO SENHOR, EXIGEM COMPROMETIMENTO EM SEUS MINISTÉRIOS, MAS NÃO TÊM COMPROMISSO COM OUTROS MINISTÉRIOS, EXIGEM RESPEITO MAS NÃO SE DÃO AO MESMO, COMO O SENHOR JESUS OS COMPARARIA NOS DIAS DE HOJE – A FARISEUS E HIPÓCRITAS? QUANTOS DIZEM QUE O SENHOR OS LIVRA DE TODO O MAL, MAS ANDAM COM GUARDA-COSTAS E EM CARROS BLINDADOS, PREGAM DENTRO DE REDOMAS BLINDADAS, VIVEM CERCADOS DE SEGURANÇAS – DIZEM : FAÇAM O QUE EU FALO, MAS NÃO SIGAM O QUE EU FAÇO”!

Moody dizia preferir mil vezes aprender a orar como Daniel a vir se tornar um pregador como Gamaliel!

Exemplo de Jesus no ministério prático da oração:
1- No momento de maior dor e sob peso da responsabilidade de cumprir o determinado pelo Pai, Jesus seguiu o caminho da oração (Mt 26:36);
2- Cercou-se de amigos íntimos e de oração (37);
3- Estabeleceu a guarda de vigilância (38);
4- Decidiu lutar a batalha sozinho (39);
5- Enfatiza a necessidade de oração.

A prática da oração:
1- Ordem é orar sempre;
2- Na madrugada, durante o dia, no templo ou nos lares (Mar. 1:35; At. 2: 46).

Promessas nas orações:
1- Buscar... achar; bater... abrir; pedir... receber;
2- Orando com sabedoria (Col. 4:4);
3- Alegria, maior humildade, crescimento, do louvor Ao Senhor e simpatia do povo.

Falar com O Pai, conversar com DEUS, é como normalmente vemos a definição de oração. Porém, sabemos que a oração é muito mais que isso, envolve uma intimidade com O Pai que leva o cristão a ter momentos de inspiração e quebrantamento; intercessão por outros membros do corpo; por aqueles que estão fracos na fé; repreendendo o maligno e buscando maior compreensão da Palavra de DEUS!
Jesus orou ao ser batizado (Luc. 4:21); orou outra vez e escolheu os discípulos (Luc. 6:12) e no fenômeno da transfiguração, dos pães multiplicados e em outras várias passagens. Ele orava ao Senhor em particular (Mar. 1:35; 6: 45 a 47; Luc. 5: 16; 6: 12; 9: 18; João 18: 2 e outros) apresentando ao Pai as suas necessidades, suas particularidades e sua angustias porque não dizer (pois estava no corpo da carne) veja na oração em Lucas 22 .
“TODOS OS CRISTÃOS DEVEM DESENVOLVER MOMENTOS DE ORAÇÃO. NEM SEMPRE TEMOS PESSOAS DE ORAÇÃO CONOSCO E POR ISSO É MISTER TERMOS ESTE ACESSO DIRETO AO PAI ATRAVÉS DO ÚNICO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO”!
Jesus nos manda pedir em oração (Luc. 18:1), apresentar ao Pai nossas necessidades, abre o coração do Pai desvendando coisas grandes e tremendas que não sabemos... (Jer. 33:3), buscando sabedoria no que devemos pedir (Tiago 4: 2 a 3).
A oração deve sempre ser feita “em Nome do Senhor Jesus Cristo”, direcionada ao DEUS Pai que é quem vai responder e muitas vezes através da intercessão do Espírito Santo (João 14: 3; Rm 8).

George Müller, diretor da Escola Bíblica do Ar cita cinco princípios básicos para a oração:


1- Não há emergência que DEUS não conheça e por isto existe sempre provisão para enfrentá-la;
2- Não fica bem ao servo que vive pela fé contrair dívidas;
3- Não se deve usar para outro fim o que recebemos, senão como designado;
4- A vida de fé precisa ser também uma vida de sã consciência;
5- A fé pressupõe fidelidade.
Muller teve suas orações maravilhosamente respondidas, isto é prefaciado no livro: CINQUENTA MIL ORAÇÕES RESPONDIDAS!

O que dizer de Hudsom Taylor, Spurgeon, Moody e tantos servos do passado que tiveram orações tremendamente respondidas Pelo Pai.
“PASSA DE MIM ESTE CÁLICE, TODAVIA NÃO SEJA A MINHA, MAS A TUA VONTADE EM MINHA VIDA...”
A oração do Senhor Jesus é básica em nos mostrar a “soberania” do DEUS Pai em todas as coisas. Muitas vezes não vemos as orações respondidas da maneira como esperávamos, aí, nos julgamos derrotados e sem fé, achando que O Senhor não nos respondeu; porém, não entendemos que Ele respondeu sim, mas não da maneira como esperávamos. Ele é Soberano é pode responder “Não” a quem quer que seja!!
Estudamos às 5ªs, sobre as orações. Podemos aplicar muito deste estudo nesta lição da EBD.
Oremos, pois, perseverantes como nos ensina a Palavra (Rom. 12:12; At. 1: 14) e aguardemos as respostas...
Amém.
Pr Omar Bianchi

terça-feira, outubro 13, 2009

Crescendo através do conflito




Textos básicos : Rom. 6 e 7 .

“Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos? Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?
...
Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna; porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Romanos 6)
“Porventura, ignorais, irmãos (pois falo aos que conhecem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem toda a sua vida?
...
Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.” (Romanos 7)

Alguns dizem que a menção no texto citado diz respeito a um homem qualquer, outros dizem ser o próprio apóstolo Paulo falando de situações pelas quais estaria passando. No sentido literal, cremos pelas experiências de Paulo em outras cartas que se trata de algo referente a ele mesmo.
O capítulo 6 demonstra claramente a necessidade de buscarmos uma vida de santificação em seguimento da justificação pela graça em Cristo Jesus. Morremos para o pecado pela fé em Jesus e assim também ressuscitamos com Ele para uma nova vida. O relacionamento da lama com Cristo é retratado no batismo do fiel; deixamos a escravidão do pecado e nos tornarmos escravos de DEUS em Cristo. O fruto de santificação nos leva à vida eterna. Em 6: 14 Paulo declara de modo absoluto : “não estamos mais debaixo da lei, mas sim da graça (e esta em Cristo Jesus)”. O teólogo R.M. Edgar menciona nos primeiros versos do cap. 7 os dois casamentos da alma : o primeiro está ligado ao domínio da lei Mosaica com seus cerimoniais e suas falhas; casamento este infeliz e que é desfeito quando o cônjuge morre em relação à lei. Esta separação da lei se efetua na pessoas de Cristo, este ressurreto e vivo se une ao crente para não mais morrer – comentado no verso 4.

As duas uniões ( 7: 1 a 6 ).

1) União pela lei de Moisés;
2) Frutificando para DEUS pela liberdade em Cristo;
3) A novidade de Espírito Santo – marca registrada do relacionamento da alma com Cristo.

A lei como reveladora do pecado ( 7: 7 a 12 ) .
1) Pelo sentimento condenatório das tendências humanas;
2) A revelação do mal em termos de condenação mata o pecador;
3) A lei revive o pecado amortecido.

O grande conflito (7: 13 a 24 ).
1) Conhecimento do bem e do mal;
2) Tendência para a prática do mal;
3) Desejos contrariados pela presença do mal frente a frente com o bem;
4) A vitória final ( verso 25 ).

O texto inicia-se com a presença de Cristo e termina com ela! Ao término, temos a gloriosa revelação do ensino maravilhoso da liberdade plena, com o cheque em branco contido no cap. 8; este preenchido pelo próprio Paulo com as palavras em Fil. 4: 13.
Até alcançar esta vitória, o cristão tem um árduo caminho com lutas e dificuldades constantes. Ele sofrerá desafios tão grandes quanto aqueles que foram postos no caminho do Mestre, que não se resume apenas à tentação no monte após 40 dias de jejum e oração, mas muitas outras que se sucederam, entre as quais a passada na última semana de vida (gregos queriam vê-lo a fim de convidá-lo para que fosse à Grécia, o país sede da cultura e da arte naquela época (quando criança, Jesus foi visitado por príncipes e pessoas do oriente), Jesus não foi com eles..., outra quando Jesus foi desafiado a descer da cruz (não esqueçamos que como homem seu sofrimento era fortíssimo), tentação desfeita na oração feita em João 12: 23 a 28. Jesus podia descer da cruz, tinha poder e autoridade para tal, mas não o fez, por amor a você .... a mim ..... à humanidade toda .... glória ao Senhor !!
O crente está morto para a lei, isto é, não tem obrigação de guardar o dia “sábado” ou qualquer outra ordem do cerimonialismo daquele tempo, está liberto em Cristo de tudo isto:... “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” ... !
“O CONFLITO ETERNO...”
Paulo apresenta aqui um dos grandes problemas do coração humano abordado nos versos 13 a 24 , como ele, outros pensadores e mestres da lei afirmaram tal dificuldade na vida cristã.
Sêneca, dizia que a capacidade humana em conseguir vitórias levava à situação de desespero, Ovídio – poeta romano escreveu : “vejo as coisas melhores e as aprovo, mas executo exatamente o oposto”! O pecado presente na carne, mas odiado pelo espírito regenerado opera não por consentimento, mas pela própria presença dele em nossas vidas. Owem descreve de forma dramática a desventura de brigar contra o pecado arraigado no ser humano em seu livro “a mortificação do pecado" (que recomendo a todos como leitura, ótimo para crescimento espiritual, mas muito duro de ser lido).
Como vencer os conflitos? Alguns insistem nas emoções da carne, misturam o real “poder do avivamento” com gritarias histéricas, línguas quase que faladas de forma repetida, sem sentido nenhum, outros nas famosas profetadas que só acontecem para afagar o ego do pecador, êxtases da carne, etc.,...., isto não é nem nunca foi renovação. Renovação é confissão de pecados, é respeito à liderança da igreja e submissão a esta, é vida no altar traduzida em testemunho cristão diário, participação nos trabalhos da igreja, em todos e não apenas nos que nos interessam, é sede de DEUS! Este passo com toda a certeza nos leva mais próximos do Senhor, da compreensão do pecado e de suas mazelas destrutivas, vida a serviço do Reino, não do nosso, mas do Senhor!

AÍ ESTÁ O DESAFIO – VIVER UMA VIDA CRISTÃ AUTENTICA E VERDADEIRA; NÃO ESQUECENDO, QUE PAGA-SE PREÇO POR ISSO, POR AMAR A PALAVRA E SER FIEL A ELA, CUSTE O QUE CUSTAR INCLUSIVE NOSSAS “AMIZADES” INFRUTÍFERAS DENTRO DA PRÓPRIA IGREJA! VOCÊ ESTÁ DISPOSTO A PAGAR O PREÇO?

Paulo militou sofrendo por muito tempo com o “espinho” na carne, não desistiu, foi adiante e ouviu o consolo do Mestre – “minha graça te basta”! Para nós é difícil lutar contra as intempéries da vida, querer libertação imediata dos problemas e nos depararmos com esta conclusão divina!
Hoje, o cristianismo moderno prega uma vida isenta de problemas, com riqueza material, prosperidade financeira e saúde à vontade; onde você observa isto nos evangelhos? Quantas vezes Jesus advertiu contra estas coisas? Quantas vezes Paulo instruiu a igreja para se ver longe destas armadilhas do diabo? Porque então tantas pessoas afluem a estas mensagens enganosas e a Verdade fica cada vez mais para trás? Amantes do próprio ventre, homens insensíveis que não querem pagar preço por nada e então abraçam as propostas de Satanás. Ai deles e dos que neles confiam e seguem! Lembrem-se das palavras de Jesus : “nunca vos conheci”!
João adverte: fuja dos mentirosos, dos enganadores, dos mandões, dos que são como câncer dentro da igreja (I Jo 2: 19 ; II Jo 10 e 11 ; III Jo 9 e 10).
Oremos assim nas adversidades que nos fazem crescer: “ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide, o produto da oliveira minta e os campos não produzam mantimento, todavia eu me alegro no Senhor”... Habacuque 3.17... porque no Senhor, nosso trabalho não é vão!

Amém.
Pr. Omar Bianchi

sexta-feira, outubro 09, 2009

O Alvo do crescimento cristão!

“Quanto ao mais, irmãos meus, alegrai-vos no Senhor. A mim, não me desgosta e é segurança para vós outros que eu escreva as mesmas coisas.
...
“Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas.” (Filipenses 3.1-21)

“Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.” (Colossenses 3.1-4)


Uma definição do escravo convertido ao Senhor: - para mim, a vida cristã foi segurar a mão de Cristo, é continuar segurando a mão de Cristo e será viver até a morte segurando a mão de Cristo! O alvo do crescimento cristão é Cristo – Sempre!

O apóstolo Paulo, enquanto encarcerado, escreveu cartas de conselhos para as igrejas em Filipos e Colossos, frases simples, porém inspiradas, demonstram este zelo e cuidado para com a igreja de Jesus; para Paulo a vida se resumia: viver Cristo, Sua presença era o que importava para o apostolo, como podemos observar no esboço a seguir :
· Alegria e gozo espiritual no meio das provações:
1. Alegria firmada no Senhor (Fil 3:1);
2. Alegria apesar das perseguições e percalços dos falsos obreiros;
3. Alegria pela adoração no Espírito, glorificando a Cristo Jesus (Mat. 6:24).
· Supremacia absoluta de Cristo sobre a vida do cristão:
1. Sobre todas as conquistas e glórias do mundo (versos 5 a 8);
2. Firmada em um andar da experiência cristã – ressurreição e vida eterna;
3. Pela busca de um alvo definido e sobreexcelente (santificação).
· Porque assumirmos, como crentes em Cristo, as obrigações da nova vida:
1. Pela busca diligente e constante das coisas do alto na visão de Jesus Cristo triunfante;
2. Pela disciplina do pensamento e do comportamento sadio e curado pelo Espírito Santo;
3. Por nossa certeza na manifestação final de Cristo, onde seremos com Ele vencedores para sempre.

Não podemos esquecer que O Senhor Jesus estava cheio do Espírito Santo quando foi atacado pelo inimigo (Luc. 4: 1 a 4), depois de sofrer toda a tempestade de uma tentação maligna e constante Ele retornou no poder do Espírito Santo, isto nos mostra que as tentações e as lutas sempre estarão presentes na vida do cristão, mas cheios do poder do Espírito Santo iremos vencer a todas!
Os exemplos na vida cristã são muitos: conta-se que Lutero certa vez até jogou o tinteiro contra a parede para atingir a satanás; Moody declara que Lutero precisava sofrer terríveis ataques do tentador porque através de sua instrumentalidade o mundo cristão seria abalado por DEUS!; John Bunyan fala dos seus conflitos tremendos (vide o livro “O Peregrino”); o apóstolo Paulo também mostra nos textos que temos como base, as lutas contra os falsos obreiros, os cães enfeitiçados que tantos prejuízos trazem à igreja de Cristo; no entanto, ele buscava se alegrar No Senhor, não alegria da carne e dos prazeres materiais, mas a do Espírito Santo agindo em sua vida deixava de lado os cerimoniais judaicos e as bajulações e buscava a alegria na fonte certa, mesmo estando atrás de grades como se fosse um bandido desconcertado.
Nas epístolas citadas, Paulo cita pelo menos oito vezes a alegria e o dever do crente nesta vida. Interessante que Paulo menciona um louvor carregado de gozo (um orgulho “santo”) que é observado pelo vernáculo grego “Kaukáomai” (ar de orgulho), que pode ser observado quando ele fala de sua alegria renovada em Cristo, quando no final as contas forem acertadas e ele descobrir que não havia sofrido em vão e ainda que cercado dos cães e maus obreiros, descobrir que a alegria em Cristo é maior.

“NOTE, QUE ESTA EXPRESSÃO DE ALEGRIA DA QUAL PAULO MENCIONA, É APRESENTADA COMO UMA ESPÉCIE DE MANDAMENTO E NÃO UMA OPÇÃO: “REGOZIJÁI-VOS SEMPRE!” (FIL. 3 1, 21 e 22).

COMO ESTÁ A EXPRESSÃO DE LOUVOR E ALEGRIA EM NOSSOS CORAÇÕES?

EXISTEM SOMENTE QUANDO AS BENÇÃOS ESTÃO PRESENTES OU EM MEIO ÀS LUTAS TAMBÉM?

Quem falava? Tinha autoridade?

Fico perplexo ao ver certos cristãos (se é que o são) duvidando da apostolicidade de Paulo! O que será que ele trocou em sua vida para seguir a Jesus? O que foi deixado para trás já não é suficiente para garantir a ele esta estatura de apóstolo?
· Circuncidado ao oitavo dia, ou seja, nascido judeu verdadeiro;
· Como linhagem de Israel tinha certos privilégios (Rom. 3:1 e 2);
· A tribo de Benjamim tinha notório prestigio, porque dela fizeram parte Raquel a esposa amada de Jacó;
· Esta tribo manteve-se fiel ao concerto, quando da divisão do reino;
· Abandonou a cultura hebraica, a posição de honra que conquistara através de suas lutas pelo judaísmo (era fariseu inclusive);
· A sabedoria social e secular obtida através dos tempos; e
· A cidadania romana, tão prezada entre os homens daquela época.


Tudo isto e muito mais, ficou para trás quando Paulo buscou conhecer o Senhor, e mais ainda foi ficando quando ele se esforçou para crescer em Cristo e isto fazendo , trouxe outros tantos consigo.

PAULO FOI SEVERO QUANTO A CONDENAÇÃO DAS COISAS DO MUNDO, MUITAS DAS QUAIS ELE VIVEU E PARTICIPOU!

A IGREJA DE HOJE, ESTÁ DISPOSTA A PAGAR O PREÇO POR TAL SEPARAÇÃO?

Conta-se que certo obreiro fervoroso de uma igreja cristã, vivia uma vida carnal em seu ambiente de trabalho, não prezando em nada o testemunho cristão. Um dia, um dos colegas de trabalho apareceu na igreja, sem saber que ele freqüentava aquele ambiente. O tal crente era o dirigente do louvor naquela noite. Ao término do culto, o colega o tomou pelo braço e lhe disse: aqui você é outra pessoa... Hoje, restaurado e diácono firme em sua igreja, conta que após aquele episódio, ele conversou com sua esposa, expôs as mazelas de sua má conduta no emprego e firmou em seu coração o objetivo de mudança total em sua vida e de seu testemunho! Traduzindo: cresceu em Cristo!
Paulo sabia que o compromisso com o mundo o afastaria cada vez mais do caminho, ao contrário, buscava maior intimidade com O Senhor, conhecê-lo melhor – “Gnosco” (conhecer em profundidade) não um simples conhecimento como muitos têm – apenas superficial (“Eidos”, “Eido” - conhecer de forma básica apenas). Ele batalhava por buscar um conhecimento que o levasse a compreender a magnitude da ressurreição do Mestre Jesus; não algo passageiro, da alma ou de sentimentos espúrios que pregam peças através de nosso emocional (unção do leão, da lagartixa, do óleo {pasmem, óleo é para ungir!}, etc...), não do intelecto humano, não, Paulo busca o conhecimento como o pastor de João 10 (conhece suas ovelhas e delas é conhecido), é a expressão no hebraico “Yadhah” (como intimidade – conheceu Abraão a Sara, sua esposa... teve relações íntimas); este era o tipo de conhecimento que Paulo queria, este era o alvo de crescimento que ele buscava...
Tudo que o mundo podia dar a Paulo, ele considerava como esterco...
· Esquecendo... tradições, conquistas mundanas, posição social, reconhecimento do mundo;
· Avançando... prosseguindo ... no plano ideal do crescimento em Cristo;
· Pelo prêmio da soberana vocação... Cristo Jesus!

A VITÓRIA SOBRE OS PENSAMENTOS E OS HÁBITOS SERÁ SEMPRE FORTALECIDA AO NOS LEMBRARMOS DE QUE JESUS CRISTO VOLTARÁ!
ESTAMOS NOS PREPARADOS?
ESTAMOS NOS PREPARANDO PARA ESTE ENCONTRO?
SERÁ PARA NÓS DIA DE BÊNÇÃO OU DE FRUSTRAÇÃO PORQUE FICAMOS?

“Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro“ (Fil. 1:21);
“Já estou crucificado... “ (Gál. 2:20);
“Se filhos... herdeiros...“ (Rm. 8:17).

Amém.
Pr Omar Bianchi

quinta-feira, outubro 01, 2009

A PONTE

video

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3.16)

"Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos." (João 15.13)
Existem momentos em nossa vida que precisamos tomar atitudes e posições. Muitas vezes não entendemos a razão de estarmos passando por determinadas situações e questionamos a Deus o por que?
Peçamos a Deus um coração sensivel e amoroso, que alcance não apenas os nossos entes queridos, mas a todos que nos cercam, indistintamente.